ARDIL-22: DC desconsidera criadores de diversos personagens da Editora


Ao longo do seu post em sua página no Tumblr na  última quinta-feira, o veterano autor Gerry Conway, 47 anos, comentou como as coisas mudaram dentro da DC quando passou a se chamar de DC Entertainment, principalmente ao lidar com os pagamentos de royalties para artistas e escritores creditados na criação de personagens da DC em uso em vários meios, incluindo a HQs, TV e cinema. Entre os cerca de 500 personagens de quadrinhos que Conway afirma ter criado ou co-criado para DC entre 1969 e 1985, ele parece ter perdido o direito de quase todos eles. Com a palavra, Gerry Conway:

Quem criou Caitlin Snow, a alter ego da super-vilã Nevasca, que aparece regularmente na The Flash?

De acordo com a DC Entertainment, ninguém.

Isso é certo? Caitlin Snow, a brilhante cientista que trabalha para Harrison Wells, noiva de Ronnie Raymond e amiga de Barry Allen, também conhecido como The Flash, não ter criadores?

Pela lógica empregada pela DC Entertainment, ninguém criou Barry Allen também.

Deixe-me explicar. Veja se você pode me entender.


Como já descrito em outros lugares ( http://comicsequity.blogspot.com ), há muitos anos, a DC Comics criou o primeiro programa para fornecer aos criadores de quadrinhos uma participação nas receitas geradas por suas criações em outros meios de comunicação. Este conceito tornou-se conhecido como "a participação do criador do capital", e isso era pequeno mas um significante passo na compensação dos criadores por seu trabalho além de um pagamento por página [o que é normalmente feito na indústria]. Para mim, pessoalmente, foi moderadamente lucrativo. (Valeu, Bruce Timm, por colocar o Killer Croc na série animada do Batman)”, Mas nos últimos tempos isso também se tornou cada vez mais frustrante e, recentemente, um irritante processo.

A razão, creio eu, é a mudança na chefia da DC Comics, que ocorreu por volta da época em que Paul Levitz deixou o cargo de editor.


Como um grande criador de quadrinhos, Paul demonstrava uma empatia em proteger os criadores. E foi assim durante trinta anos, os criadores foram valorizados e apoiados como parceiros de capital. (Podemos discutir sobre o nível de apoio, se a percentagem criadores receberam foi proporcional às suas contribuições, mas não podemos negar que o apoio estava lá, e era consistente.)

Tudo isso mudou quando Paul saiu, e a DC Comics tornou-se, oficialmente, DC Entertainment, uma peça totalmente submissa a Warner Entertainment.

Eu aprendi como essa mudança afetaria abordagem da DC para os criadores quando eu recebi uma carta do nova presidente da DC Entertainment, Diane Nelson, informando-me que eu deixaria de receber pagamentos de capital da personagem Poderosa, porque ela é uma personagem derivada do Superman. Para suavizar o golpe e mostrar "apreciação" por minha "contribuição", ela ofereceu um cheque de $ 1000 dólares.

Obrigado, Diane.

Mas agora chegamos ao ARDIL 22 da nova abordagem da DC para acordos de capital para os criadores, [Da Wikipedia: “uma situação paradoxal, na qual uma pessoa não pode evitar um problema por causa de restrições ou regras contraditórias. Frequentemente, essas situações são tais que solucionar uma parte do problema só cria outro problema, o qual acaba levando ao problema original. Situações de “ardil-22″ frequentemente resultam de regras, regulamentos ou procedimentos aos quais um indivíduo se submete, mas não pode controlar”.] Suponha que eu apresente um formulário de solicitação necessário mostrando que é uma criação minha, a DC ainda pode decidir, unilateralmente, que é "derivado" e eles não me devem um centavo.]

O que, exatamente, é a definição de um personagem derivado para DC?

É um personagem que DC decidiu ser "derivado" de algum outro personagem anteriormente já existente.

Por exemplo, a Poderosa, que rendia uma grana para mim no passado. Após as mudanças internas, ficou definido que ela é uma derivação do Superman, já que é a Supergirl da Terra-2. Dessa forma, a editora conclui que a personagem, por não ser uma criação original, não precisa render dinheiro nenhum aos seus criadores. A DC continua considerando que criações derivadas, como o Superboy e a Poderosa, por mais “únicos” que sejam, não são nada além do que uma “versão” do Superman de Jerry Siegel e Joe Shuster. e, portanto, não deve dinheiro nenhum a quem os criaram.

E essa história é repetida: nos anos 40, a National Periodical Publications (a empresa que precedeu a DC) alegou que o Superboy era só uma derivação do Superman, personagem do qual eles compraram os direitos. A Justiça decidiu que não, o Superboy era um personagem “único”, e que a NPP tinha mesmo infringido as leis de copyright.

Precedente aberto, sim, mas absolutamente ignorado. A DC continua considerando que criações derivadas, como o Superboy e a Poderosa, por mais “únicos” que sejam, não são nada além do que uma “versão” do Superman e, portanto, não deve dinheiro nenhum a quem os criaram.

A reivindicação da DC de privar os criadores de quaisquer direitos de participação no capital desses personagens ao usar a palavra "derivação". Nada mais é do que um ato imoral, antiético, enganoso e desprezível.

No entanto, fica pior.

Vamos dizer que você concorda com DC sobre quem criou um determinado personagem, como, por exemplo, Nevasca. Em sua criação original, Nevasca tinha uma identidade secreta chamada Crystal Frost. Mais tarde, uma "nova" Nevasca foi criado para os Novos 52, ​​com uma nova identidade, no caso,  Caitlin Snow.

Você ficará satisfeito de ouvir, (eu espero) que ainda esteja concordando com a  DC, que eu e Al Milgrom são os co-criadores de todas as manifestações de "Nevasca." Assim, somos os reais criadores até mesmo dessa nova versão da personagem.

Certo?

Não. Nós não somos. DC insiste que não somos. E eu concordo com DC.

Caitlin Snow foi criada por Sterling Gates e Derlis Santacruz.

Exceto, de acordo com a DC Entertainment, ela não é. [Olha ciclo vicioso e ardiloso sendo criados]. Porque ela é uma personagem "derivada" da Nevasca.


“Nós recebemos seu pedido sobre Caitlin Snow, mas você não tem direito a receber nada sobre a personagem, já que ela apareceu primeiro em Fury of Firestorm. Dito isso, se Caitlin Snow eventualmente se tornar a Nevasca em The Flash, você receberá participações por ela. Os criadores da Caitlin Snow NÃO podem receber também, já que a personagem deriva da Nevasca, criada por você e Al Milgrom”.

Assim, de acordo com a DC Entertainment, não o fizemos. Ninguém criou Caitlin Snow.

Ou melhor, ninguém começa recebe ganhos em participação pelo crédito de criação dela.

E isso, meus amigos, é realmente detestável e desprezível.

DC Entertainment criou um ardil-22 maravilhoso que lhes permite enganar criadores usando ambos os lados de um argumento para servir os seus próprios interesses.

De acordo com a DC, Sterling Gates e Derlis Santacruz não criaram Caitlin Snow. Don Newton e eu não criamos Jason Todd. Ric Estrada e eu não criamos a Poderosa. Jerry Siegel e Joe Shuster não criaram Superboy. Bob Kanigher e Carmine Infantino não criaram Barry Allen.

Estes personagens apareceram do nada.

Mas interessante, olha só, o dinheiro pela exploração desses personagens vão diretamente para conta bancária da DC. 

fonte: newsarama

Comentários