A gente viu: Velozes e Furiosos 7.

Enfim... depois de ter perdido a pré e a estreia (duas sessões no mesmo dia por causa de superlotação) consegui ver esse filme...

Aviso: se você não gosta de filmes nesse estilo pode cair fora. Ninguém se importa com sua opinião de “hater valente de sofá que não pega ninguém”

Voltando: galera... que filme “Mentiroso” cara! Se você curtiu as peripécias de Dom e sua turma (em Velozes 5 e 6) e curtiu filmes como (só pra citar dois) “Fúria em duas rodas” e “Carga Explosiva II”, esse é o seu filme (nosso).

Se no 4 geral já tinha elogiado a franquia por eles “romperem” com esse negócio de “Universo Michael Bay” (rachas e mulheres gostosas apenas) e terem se focado em virar de fato uma “franquia de ação” aqui a coisa tem seu ápice.

O filme tem “muitos ecos” de: “Controle Absoluto” ,“Triplo X” ,“Trilogia Batman do Nolan”, “Missão Impossível: Protocolo Fantasma”, “GiJoe: Retaliation”, “Corrida Mortal”, “2012” e até mesmo “Transformers” “Rogue: o Assassino” e “Soldado Universal”.

O filme vem pra corrigir a linha do tempo desde o terceiro filme (não se assuste. Dá pra assistir de boa) e traz o vilão Dereck Shaw (Jason Statham, finalmente encontrando tempo na agenda pra franquia. Na qual ele tem sido convidado desde os primeiros filmes.)


Statham é irmão de Owen Shaw (sim o Drácula do novo filme) e quer se vingar  de Toretto.
Pense em Statham; aquela cara marrenta e o mesmo estilo de atuar em seus filmes característicos, (há um momento em que o chamam de “Britânico marrento”) e claro. 

Sua velocidade foi aumentada (opinião minha claro) pra evidenciar ele ser bem mais rápido que The Rock e Vin Diesel. (destaque pras lutas, todas são espetaculares. Tem tanta coisa acontecendo que sempre algo interrompe as lutas, seja uma explosão, terremoto ou alguma equipe do exército. De maneira que a “Intocabilidade” de Statham evidenciou sua “fodice”
(nas lutas tanto com The Rock quanto com Diesel, Statham dificilmente apanha) é praticamente o “Batman” de “Velozes e Furiosos” e definitivamente o melhor e maior vilão da série.

No time de vilões também temos a adição de Tony Jaa (“Ong Bak” “O Protetor”) que tem lutas fenomenais com Paul Walker (ou seria o irmão dele? Lembremos que o filme teve cenas a mais, cenas refeitas com o irmão de Paul) além de que as cenas de luta com Tony são no escuro. Pelo menos posso dizer (de vista) que a primeira luta Walker realmente filmou. E o trabalho no filme de coreografia está ótimo. (até mesmo um hacker faz bonito oras!)

Ainda temos a tetéia Ronda Rousey como vilã (tendo uma luta com Michelle Rodriguez), o filme tem um ar de “festa” mas não “festa bagunçada” como os últimos ”Os Mercenários” mas porque os filmes estão cada vez mais audaciosos, maiores, mais, mais e MAIS...

Até mesmo temos alguma piada nesse sentido (Tyrese é o Homem Aranha do filme rsrsrs) falando sobre os “exageros” nas loucuras que eles já fizeram ou fazem.

Por mais que alguns tenham preconceito sobre esse “tipo de filme” ou as “atuações” o filme se apresenta com legítimo exemplar de ação das tendências de hoje. (Parkour, alguma coisa nerd tecnológica foda, porrada, carros explosões e mulheres gostosas) e os “momentos sentimento” dão um banho em “filmes pra meninas” (desculpa aí “50 tons de cinza” desculpa aê.)

Seja pelo fato de Michelle Rodriguez ter se separado de Vin Diesel e não se lembrar do seu passado ou seja pelo fato de as pessoas  saberem da morte tão prematura de Paul Walker.

O filme de certa forma comove. (as mulheres choraram em várias salas) O final do filme tem uma espécie de “metalinguagem” (Bryan querendo se aposentar. E Viver em paz com sua família e tendo que partir)

E a cena dos “heróis” vendo Bryan brincando com a família (o ator de costas. Provavelmente era o irmão filmando) numa praia evidencia bem isso...

E The Rock? Lembram de “Roadblock” (personagem dele em GiJoe: retaliation) aqui ele resgata isso. (derruba um drone com uma ambulância estando com um braço e uma perna machucados) e peita um helicóptero com uma metralhadora giratória!

E a luta final entre Statham e Vin Diesel. (nunca imaginei que fosse ver um Maculelê por dois caras tão ilustres!)

Maculelê é uma cerimônia na capoeira onde se luta/dança com facões ou bastões. (lembram da luta entre Statham e Jet Li em “Rogue: O Assassino”? um com uma pá e outro com uma marreta) então... aqui é um com duas ferragens de carro (ou para-choques você decide) e o outro com duas chaves!

Recomendo fortemente que você assista esse filme em versões boas (720 ou 1080p) ou que veja no cinema mesmo. (como o filme tem muitas cenas á noite. Versões cam geralmente ficam terríveis.)

Espero fortemente que Jason Statham volte a encarar esse time em “Velozes 8” (já confirmado pela Universal)

Nota: 10



Ps: “Nunca é um adeus...” –Dom Toretto.

Comentários