A gente viu: Batman vs Robin



Fala galera! Como estão? Seguinte; eu disponibilizei pra download ontem (02/04) e muita gente copiou e tals... Não tem problema não, rsrsrsr

Assisti essa aguardada animação, pra quem tá por fora desde “Flashpoint: Paradoxx” as animações têm seguido uma mesma linha cronológica (tendo sido lançadas duas da Liga da Justiça “War” e “Throne of Atlantis” e agora do Batman chega-se á terceira.)

“Batman vs Robin” é continuação de “O Filho do Batman” (2014) mas caso você não tenha assistido não há problema, é home vídeo. Dá pra assistir sem problema de feedback.

A animação em questão adapta o arco “Corte das Corujas” de Scott Snyder (o primeiro arco de Batman nos “Novos 52”)e claro. Não irei falar sobre a HQ, apenas sobre a animação, se eu entrar na cilada de “comparar” eu entro num beco sem saída.

A história pega carona na “popularidade” de Damian Wayne (um personagem que arrebanhou uma grande legião de fãs, além de dar novo fôlego ao nome “Robin”) e trata-se do seguinte:
Um culto que percorreu Gotham por anos decidiu que Damian deverá ser seu novo membro, e Batman está entre eles e o controle absoluto da cidade, Damian deverá escolher um lado...

O que me chamou a atenção é que esta animação em si, é (não quero julgar, apenas contar.) ainda mais violenta que suas antecessoras.

Batman usa seus batarangues pra explodir, decepar e empalar seus adversários... o próprio vilão “Mestre dos Brinquedos” (aquele vilão “Era de prata” do Superman) foi “fundido” na animação ao “Dollmaker” (o “Fazedor de Bonecas” ou “mestre das bonecas” como queira) e cara, quem usa “Deep Web” sabe.

Dollmaker é uma prática criminosa que as autoridades mais estão caçando nos últimos anos. (decepar membros de crianças e trocá-los por próteses de plástico ou como no caso do filme, armas) e está tudo lá. O próprio personagem foi transformado numa espécie de “Leatherface” aterrador mesmo. (com máscara de boneca de criança e sem cabelo estilo “Jason Vorhees).

Não me lembro disso ter sido feito nos quadrinhos dos novos 52, mas foi tenso ver tudo isso em animação. (um toque de realidade nu e cru.), Mostrou ainda mais a “proximidade” entre os longas da DC e os animes que tanto cultuamos e curtimos.

A história adaptada foi revista e escrita por J.M deMatteis (eu não consigo gostar desse escritor, modorrento e chato demais) e se por um lado a história meio que “capenga” no lado ação/gráfico/animação o longa mostra clara evolução em relação aos antecessores. (principalmente em cenas de luta.)

Pra você amigo que adora “debater lutas” (ou odeia o Batman) esta animação é um prato cheio. Porque? Pense comigo: como UM  homem só peita organizações inteiras de caras que lutam tão bem quanto ele (e são muito mais numerosos) tais como “Liga das Sombras” “Culto do Kobra” e até mesmo a própria “Corte das Corujas” do longa e sempre sobreviveu?

Detalhe que os “Corujas” (ou Garras) são aumentados, são sobre-humanos... aí já viu.
O Batman escapa de morrer na primeira luta com eles...! É bem realista e impressionante, não lembro de uma animação que tenha “esquecido” que “Batman não é um deus”.

Por isso achei interessante falar disso pra vocês... eu tenho colecionado todas as animações de super-heróis Marvel e DC  e sempre tento fazer “paralelos” entre elas, encontrar homenagens e por aí vai.

O vilão “Garra” é dublado por Jeremy Sisto (o Jesus dos filmes da sessão da tarde) e que já dublou o próprio Batman em “Uma nova Fronteira”.


A animação vale a pena a conferida. 

Comentários